Rally dos Sertões – Após o Dakar em janeiro, os brasileiros Marcos Colvero e Lincoln Berrocal e o uruguaio Javier Fernandez encaram a maior prova off-road do país. Já o cearense Adhemar Pereira “Índio” segue para a sua 10ª participação.

O cearanse "Índio" segue para o décimo Rally dos Sertões e nas motos (Marcelo Maragni/Fotop)
O cearanse “Índio” segue para o décimo Rally dos Sertões e nas motos (Marcelo Maragni/Fotop)

Rally dos Sertões – Encarar aproximadamente 4.800 quilômetros do maior e mais desafiador rali do Brasil é um privilégio para os apaixonados por aventura e superação. Somente quem já participou do Rally dos Sertões pode mensurar a emoção de cruzar a rampa de chegada com o dever cumprido. É com esse objetivo e muito mais que os competidores da Bianchini Rally/Power Husky estão nos preparativos finais para a 27ª edição que iniciou em Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, e termina em 1º/9 em Aquiraz, no Ceará.

A equipe de Barueri (SP) contará nesta edição com três pilotos que competiram o Dakar 2019. O gaúcho Marcos Colvero, o paranaense Lincoln Berrocal e o piloto de Montevideo (URG) Javier Fernandes. Multicampeão dos ralis no Uruguai, Fernandez, 51 anos, tem no currículo cinco participações no Dakar e que vem para o Brasil para a seu sétimo Sertões, o terceiro na equipe, desta vez nos UTVs, a categoria que mais cresce no grid nacional nesta década.

Para encarar o novo desafio com um UTV Can-Am Maverick X3, convidou Colvero, 48 anos, que por sua vez, estreia na função de navegador e também na categoria, pois todas as participações anteriores foram nas motos.

Esta edição marca, ainda, o retorno do curitibano Berrocal ao grid. Desde 2003 estava afastado da prova e tem em 2019 um ano que ficará para a sua trajetória, pois aos 60 anos estreou no Dakar e volta a acelerar sua moto no Sertões.

Aos 60, Berrocal retorna ao grid do Rally  dos Sertões no mesmo ano que fez o Dakar (Vinícius Branca/Fotop)
Aos 60, Berrocal retorna ao grid do Rally dos Sertões no mesmo ano que fez o Dakar (Vinícius Branca/Fotop)

“Estou muito feliz por voltar ao Sertões e também em uma equipe profissional. Em 2003 não tinha experiência e trouxe apenas um amigo mecânico. Chegávamos das etapas e não tínhamos onde dormir e nem onde comer foi um perrengue, mas terminei em 11º na geral das motos. Agora será tudo diferente”, explica Berrocal que competirá na categoria Over 45 com uma KTM 450 Réplica e é bicampeão brasileiro e multicampeão Paranaense de Rally Cross Country.

Quem também disputará a mesma categoria de Berrocal será Pereira, conhecido no off-road como Indião ou Índio. Esportista do mar – surfista e velejador de windsurfe – nas horas vagas, o piloto segue para a sua 10ª participação na competição – foram oito de moto e em 2018 foi nos UTVs – e pilotará sua KTM 450 Réplica, apelidado de “Grande Cavalo Branco”.

“É no rali que estão meus melhores amigos e a Bianchini Rally é uma família para mim e lá se vão 10 anos juntos no Sertões. Depois de uma experiência incrível como navegador nos UTVs, com meu amigo Fabrício Bianchini, retorno esse ano para as motos e com o mesmo foco, o de completar a prova e, ainda ser recebido pela minha esposa e filho na chegada em casa”, diz o competidor de 47 anos, morador de Fortaleza.

Por: MSuzuki Comunicação

Deixe uma resposta