Yamahas para Maio: as aguardadas MT 03 e NMax 160

/, Notícias, Yamaha/Yamahas para Maio: as aguardadas MT 03 e NMax 160
Fotos – Divulgação

MT-03 – a partir de R$ 18.790,00

Ao que interessa: o motor da MT-03 é o mesmo que equipa sua irmã esportiva YZF-R3. Trata-se de um bicilíndrico em linha com capacidade cúbica de 321cc, duplo comando (DOHC – Dual Over Head Camshaft), 4 válvulas por cilindro, arrefecimento líquido e alimentação por injeção eletrônica, capaz de gerar potência e torque máximos de 42,01cv a 10.750 rpm, e 3,02 Kgf.m a 9.000 rpm, respectivamente.
Para alcançar o objetivo de uma motocicleta leve, a Yamaha utilizou alumínio como nos pistões (forjados – similar aos das motocicletas de competição) e no cilindro, com a tecnologia DiASil Yamaha, que consiste em uma liga de Alumínio e Silício que proporciona menor vibração, melhor dissipação de calor e uma surpreendente performance. O resultado disso tudo foi uma motocicleta de 166kg na versão STD e 169kg na versão com ABS. Tanque com capacidade para 14 litros.
O escapamento da MT-03 é do tipo 2 x 1 com sistema de câmara de expansão para redução de ruídos e ganho na performance. A ponteira é posicionada perto do centro do chassi, o que favorece a centralização de massa. Isso garante equilíbrio para pilotagem esportiva e estabilidade, qualidade comum aos modelos da família MT. 
Para oferecer a rapidez que a MT-03 proporciona, a fábrica desenvolveu como base um compacto chassi construído em aço do tipo diamante, que oferece resistência com baixo peso.
Eletrônica
A eletrônica é um ponto alto na MT-03, uma ECU de 16 Bit gerencia o moderno sistema de admissão que, em conjunto com a injeção eletrônica, é capaz de fazer com que a mistura de ar e combustível chegue de forma rápida à câmara de combustão. Com isso, a queima é mais eficiente, resultando em consumo de combustível mais equilibrado e entrega de potência e torque mais expressivos. 
Suspensão
Na frente, a MT-03 utiliza o sistema de garfo telescópico, cujos amortecedores possuem curso de 130mm e tubos internos com 41mm de diâmetro. Isso resulta em mais controle e estabilidade na pilotagem em função da maior robustez e resistência a torções. Já a suspensão traseira, do tipo monocross, tem amortecedor único com sete regulagens na pré-carga da mola, permitindo o ajuste de acordo com o peso, terreno ou tipo de pilotagem. 
Standard e a ABS
Como na R3, a MT-03 estará disponível em duas versões, a Standard e a ABS. Em ambas, o sistema dianteiro é composto por um disco ventilado do tipo flutuante, com diâmetro de 298mm e pinça de duplo pistão. Na traseira, o disco ventilado é de 220mm, e a pinça com pistão único. 
Seu motor é compacto, potente e muito mais leve, além de ter o consumo mais eficiente. A sua mecânica é similar à esportiva YZF-R3, diferenciando-se pela posição de pilotagem mais confortável para o uso urbano.
As rodas em liga leve com 17 polegadas de diâmetro e 10 pontas, são as mesmas da R3, assim como os pneus radiais tubeless, cujas medidas são de 110/70 – R17M/C 54H na dianteira, e 140/70 – R17M/C 66H na traseira.
Painel tecnológico
O Painel da MT-03 é completo. A iluminação em LED, garante boa visibilidade em qualquer situação. Nele, há o shift light, que indica o momento da troca de marchas e pode ser ajustado facilmente de acordo com a preferência do condutor, seja no nível de luminosidade (com três opções), na forma de acendimento (intermitente, strobe ou fixa), ou na rotação desejável a partir dos 7.000 rpm. Em um display de LCD, indica a velocidade, marcha utilizada, nível do combustível, temperatura do motor, relógio, hodômetro total e dois parciais, momento da troca de óleo, autonomia e o consumo médio e instantâneo.
Posição de Pilotagem
A Yamaha se preocupou com a estética da MT-03, mas não só com ela. A posição de pilotagem ganhou atenção especial, garantindo condução ágil e precisa sem deixar de lado o conforto e a segurança. Seu assento está a apenas 780mm do solo, o que torna mais fáceis os posicionamentos com a moto parada. O guidão permite disposição mais ereta e relaxada. O assento para o passageiro é bipartido.
Em comparação com a YZF-R3, o guidão da MT-03 é posicionado 19 milímetros mais perto do piloto e cerca de 39mm mais alto. 
A MT-03 será produzida em três versões de cores: a Matt Silver (Prata fosco e Azul), Red Metallic (Vermelha e laranja) e Black Metallic (preta), com visual mais discreto, dando a motocicleta aspecto mais sofisticado.
O modelo de entrada da família MT estará disponível nos Concessionários Yamaha a partir da segunda quinzena de MAIO/2016. O preço sugerido para a versão standard é de R$ 18.790,00 + frete, e para a versão ABS, de R$ 20.790,00 + frete.

NMAX 160 ABS por R$ 11.390,00

Motor refrigerado a líquido 160cc
O motor monocilíndrico de 160cc, com quatro válvulas e arrefecimento líquido oferece a maior potência da categoria, – 15,1cv a 8.000 rpm e torque máximo de 1,47 kgf a 6.000 rpm e foi desenvolvido com o objetivo de criar uma nova geração de motores compactos com eficiência e economia de combustível, e que atende todos os parâmetros brasileiros atuais de emissão de poluentes. Para atingir essa equação, os engenheiros da Yamaha se concentraram em reduzir as perdas de potência com a aplicação de tecnologias avançadas, como a melhoria da eficiência na queima da mistura Ar/Combustível e arrefecimento do motor.
ABS de série, com freios a disco de 230mm nas duas rodas
Uma característica importante e significativa sobre a NMAX é que é o primeiro scooter de seu segmento com sistema de freio antitravamento (ABS) de série. Os discos de freio dianteiro e traseiro são de 230 milímetros, o que proporciona desempenho forte e progressivo de frenagem.
Injeção de combustível
Um dos destaques do motor da NMAX é a posição do injetor de combustível, próximo da válvula de admissão. Esta proximidade, reduz a carbonização e melhora a homogeneização da mistura ar/ combustível.
Sistema VVA (Variable Valve Actuation) – Sistema de controle de abertura variável de válvulas
Segundo a Yamaha foi criado no motor da NMAX, o sistema de controle de abertura variável de válvulas que determina o momento de abertura e fechamento das válvulas tanto de admissão quanto de escape. O momento que as válvulas abrem e fecham, o quanto abrem, e o tempo em que permanecem abertas, determinam toda a característica de funcionamento do motor. Normalmente o comando de válvulas é projetado para escolher uma das alternativas: obter potência em altas rotações ou melhorar o torque em baixas rotações. Ou seja, num comando de válvula convencional ou se ganha potência em alta ou se perde o torque em baixas rotações, ou vice versa. 
No caso da NMAX, segundo a fábrica, isso não existe, a solução foi encontrada com o sistema VVA, permitindo que no mesmo motor se obtenha bom torque em baixa e belas respostas em alta rotação. O que o sistema faz é comandar o momento de abertura e fechamento das válvulas conforme a rotação do motor e a carga, tudo controlado através de uma unidade eletrônica. Dessa forma é possível ter duas características diferentes na mesma motocicleta. Isso faz com que a NMAX seja ágil para arrancadas e retomadas no deslocamento urbano.
Painel de instrumentos 100% digital em LCD
O painel de instrumentos em LCD é de fácil leitura, com retro iluminação LED, acabamento especial da lente que elimina reflexos para melhorar a visibilidade, e traz computador de bordo e indicadores de pilotagem econômica ECO, de consumo instantâneo e de nível de combustível no tanque. Possui também dois hodômetros parciais, relógio e até avisos importantes, como o momento de troca do óleo lubrificante e da troca da correia do sistema CVT (Continuosly Variable Transmission).
Revisão Preço Fixo
A NMAX também conta com a Revisão Preço Fixo Yamaha – uma exclusividade no mercado duas rodas. Na qual o cliente sabe exatamente quanto pagará nas revisões periódicas.(Informação da Fábrica)
A NMAX será produzida em três versões de cores: Titanium Grey (Cinza Fosca); Power Red (Vermelho Metálico) e R-White (Branco Metálico) e estará disponível nos Concessionários Yamaha a partir da primeira quinzena de MAIO/2016. O preço sugerido é de R$ 11.390,00 + frete.
2016-08-20T17:26:40+00:00 25 Março - 2016|

2 Comentários

  1. Leandro Rios 26 26America/Sao_Paulo Março 26America/Sao_Paulo 2016 em 15:26 - Responder

    NENHUMA matéria fala sobre a eficiência energética de fato, quero saber qual a média de kilometros estes lançamentos fazem com 1 litro de gasolina.

    • Tudo de Motos 26 26America/Sao_Paulo Março 26America/Sao_Paulo 2016 em 20:27 - Responder

      Olá Leandro, tudo certo?
      Na verdade acontece o seguinte, a fábrica dificilmente revela essa informação, a não ser que a chamada de marketing do modelo da moto tenha esse apelo de economia de combustível. Para que a gente tenha uma idéia é preciso que façamos um teste. A fábrica dificilmente disponibiliza um novo modelo para um teste assim, a não ser para as grande editorias, como "Duas Rodas", "Revista Moto", "Auto Esporte" etc… E o real consumo a gente só vai saber despois que o motor estiver "amaciado", então é um teste que demora um certo tempo.
      Como fazer no nosso caso? Em relação à MT-03: ela usa o mesmo motor R3 que saiu há algum tempo atrás e portanto, existem alguns testes de uso e consumo. A base da R3, segundo o site Carplace ficou em torno de 26,3 km/l. Mas isso tocando de boa. Numa pilotagem esportiva ficou em torno de 20 km/l. Ou seja, na MT-03 o peso vai ser um pouco menor, já que não vai ter carenagem e algumas peças tiveram detalhes em alumínio justamente para reduzir o peso. Acredito que o consumo proporcionalmente deva ser menor, mas não muita coisa.
      No caso da NMax 160, a Yamaha informou num primeiro momento que a moto faria 40km/l. Mas essa informação foi retirada posteriormente, por isso não colocamos nada. Imaginamos que a base de consumo dela seja isso, mas como eu disse, a comunicação da Yamaha tirou a informação do consumo.
      Ok? ABS

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: